Países emergentes lideram, pela 1ª vez, investimentos em energia limpa

Dados do relatório Renewables 2016 Global Status Report também indicaram queda nos custos de fontes renováveis e recorde de investimentos no setor

China respondeu a mais de um terço do total no mundo em investimentos de energia limpa/Foto: Divulgação

China respondeu a mais de um terço do total no mundo em investimentos de energia limpa/Foto: Divulgação

Pela primeira vez, os países emergentes aparecem na frente dos mais ricos em relação ao investimento em energia limpa. Isso porque a China se responsabilizou por mais de um terço do total no mundo. Os dados foram divulgados pelo Renewables 2016 Global Status Report, que registrou também mais do que o dobro em investimentos em energia eólica, solar e hidrelétrica, no que diz respeito ao valor utilizado utilizado para novas usinas de carvão e gás. O relatório mostrou ainda queda nos custos de fontes renováveis.

Desenvolvido anualmente pela REN21, que reúne empresários, cientistas e gestores públicos que trabalham pelo avanço do setor, o relatório indicou que os países responsáveis pela maior colaboração para esse crescimento foram China, Estados Unidos, Japão, Grã-Bretanha e Índia, mesmo com a redução dos preços dos combustíveis fosséis, em 2015. O Brasil, por sua vez, ocupa a vice-liderança em investimentos em energia hidroelétrica, de biodiesel e etanol, perdendo apenas para a China, o quarto lugar em energia eólica e é também o terceiro país a apresentar maior capacidade de energia renovável, levando em conta a fonte hidrelétrica. China e Estados Unidos lideram esse ranking.

Com Us$ 286 bilhões, em 2015, o investimento em energia renovável bateu recorde. O estudo apontou ainda que há um claro sinal de comprometimento dos países em relação à energia renovável, visto que, já no início de 2016, eles estipularam 173 metas para a ampliação de sua oferta.

 


MBP-COPPE/UFRJ formando especialistas em petróleo desde 1998 - mbcursos.coppe.ufrj.br

Comentários